Mulheres Gestantes e o Covid-19

SÉRIE: MULHERES E O NOVO CORONAVÍRUS

O risco de resultados maternos e neonatais adversos associados ao COVID-19 é amplamente desconhecido, mas especialistas médicos suspeitam que os sintomas do COVID-19 possam ser mais graves em mulheres gestantes do que em mulheres não grávidas. Com base em pequenos estudos, o novo coronavírus não parece passar da mãe para o feto durante a gravidez, mas alguns casos de infecção neonatal foram notados e mais pesquisas são necessárias.

Praticar o distanciamento social durante a pandemia de COVID-19 pode ser mais difícil para as mulheres grávidas, a maioria das quais exige visitas pré-natais semanais a mensais durante a gravidez. O uso da telemedicina no pré-natal pode ser uma nova maneira de limitar a exposição ao COVID-19 para mulheres grávidas, mas os desafios logísticos e a falta de uma política de cobertura uniforme entre as seguradoras, órgãos reguladores e os governantes, ainda impõem barreiras à implementação da telemedicina.

Devido a questões de segurança, as mulheres grávidas e lactantes foram historicamente excluídas dos tratamentos e dos testes de vacinas, até que o FDA aprove o uso na população em geral. Se esse for o caso do COVID-19, pode haver um intervalo de tempo entre as mulheres grávidas terem acesso ao tratamento e às vacinas, em comparação com o restante da população.

O custo pode ser uma barreira ao comportamento de busca de saúde. Uma vez desenvolvida a vacina para o novo coronavírus, garantir que a vacina esteja disponível sem compartilhamento de custos provavelmente aumentará as taxas de vacinação entre mulheres grávidas.

Val Sátiro, Founder, Interação Saúde Mulher, para o Blog Watari Care: https://www.wataricare.com.br/mulheres-e-o-novo-coronavirus-29.html

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *