Apoiando a saúde da mulher no local de trabalho

*Val Sátiro Oliveira

Apoiando a saúde da mulher no local de trabalho

Conceder os benefícios de saúde certos podem ajudar suas funcionárias a prosperar

As mulheres representam 57% da força de trabalho hoje. E embora as mulheres tenham feito avanços significativos ao longo dos anos no que diz respeito à igualdade no local de trabalho, ainda existem – e sempre haverá – preocupações únicas com a saúde e o estilo de vida das mulheres que trabalham.

3 mulheres conversando em uma mesa de trabalho
Banco de Imagens Gratuitas

Ao longo de suas vidas e carreiras, as mulheres enfrentam escolhas altamente pessoais em relação à fertilidade, gravidez e criação dos filhos. As mulheres costumam assumir a maior parte das tarefas de cuidar dos filhos e também dos pais idosos. Esses problemas podem afetar o curso da carreira das mulheres e as escolhas que elas fazem sobre onde trabalhar.
 
Para atrair e reter os melhores talentos femininos, cada vez mais empregadores estão tomando medidas proativas para apoiar as necessidades de saúde das mulheres em suas políticas e cultura de trabalho. Eles estão definindo um tom que é inclusivo e empoderador, escolhendo benefícios que apoiam a saúde e o bem-estar das mulheres e garantindo que suas funcionárias estejam cientes dos recursos disponíveis para elas.

Apoiando a saúde materna da mulher

Setenta e cinco por cento das mulheres na força de trabalho hoje estão em idade reprodutiva.  Elas enfrentam desafios e escolhas únicas, que podem ter um impacto direto em sua vida profissional. A escolha de um plano de saúde proativo para atender às necessidades das mulheres grávidas é uma das maneiras mais importantes pelas quais os empregadores podem apoiar suas funcionárias.
 
Para algumas mulheres, condições pré-existentes, como diabetes, doenças cardíacas, esclerose múltipla e condições induzidas pela gravidez, como hipertensão ou diabetes gestacional, criam um risco aumentado de parto prematuro e problemas de saúde materna ou fetal. Infelizmente, há iniquidades significativas no cuidado materno mundialmente, com taxas de mortalidade relacionadas à gravidez entre mulheres negras duas a três vezes mais altas do que as de mulheres brancas. Muitos planos de saúde e startups hoje, oferecem programas para ajudar a garantir os melhores resultados possíveis para mulheres grávidas e seus recém-nascidos.

Compreender as necessidades comportamentais de saúde das mulheres

Para as mulheres trabalhadoras na década de 2021, as pressões para conciliar trabalho e casa são mais intensas do que nunca. Embora as parcerias domésticas e a criação de filhos sejam muito mais justas do que costumavam ser, as mulheres que trabalham com parceiros homens ainda assumem mais as tarefas domésticas e o cuidado dos filhos.  O estresse de fazer malabarismos com o trabalho, a paternidade e outras responsabilidades pessoais pode facilmente desencadear ou exacerbar problemas de saúde comportamental, incluindo ansiedade, depressão e transtornos por uso de substâncias. Embora homens e mulheres tenham problemas de saúde comportamental, a taxa de depressão entre as mulheres é quase o dobro da dos homens. 

A pandemia COVID-19 também atingiu com mais força a saúde emocional das mulheres trabalhadoras. A porcentagem de mulheres que trabalham dizendo que sentem muita preocupação em sua vida diária foi 12 pontos maior em média durante a pandemia, em comparação com sua preocupação autoexpressa em 2018. Isso em contraste com um aumento de nove pontos entre os homens que trabalham. Em outro estudo, as mulheres relataram taxas mais altas do que os homens de mudanças relacionadas à pandemia na produtividade, sono, humor e preocupações relacionadas à saúde. 
 
Outro problema de saúde comportamental específico para mulheres é a depressão pós-parto. A “tristeza pós-parto” é comum para as mulheres nas primeiras duas semanas após o parto, mas algumas mulheres experimentarão distúrbios emocionais mais significativos. Na verdade, até 1 em cada 5 mulheres sofrerá de depressão pós-parto.

Cuidados de saúde comportamental / mental destigmatizantes

Embora haja mais abertura em torno da saúde mental do que costumava haver, os empregadores ainda podem desempenhar um papel importante na desestigmatização dos desafios de saúde comportamental.
 
Lembre-se de lembrar aos funcionários de seus benefícios de saúde comportamental, incluindo a opção de usar telessaúde, se aplicável. Muitas pessoas que podem não optar por ver um terapeuta de saúde comportamental pessoalmente estão abertas a acessar um via telessaúde, porque é mais privado e conveniente, e no momento da pandemia, mais pertinente.

Promovendo atenção plena para suporte de humor

Mindfulness é outra ferramenta inestimável para apoiar a saúde comportamental. A meditação, em particular, demonstrou aliviar o estresse e melhorar o humor. Alguns empregadores estão incorporando a atenção plena em sua cultura de trabalho, realizando sessões matinais de meditação ou oferecendo treinamento de atenção plena.
 
Em breve teremos, descontos por nossa plataforma online para aulas de ioga e meditação interativas ao vivo. Descontos também em cursos de Mindfulness e Self-Compassion com parceiros.

Apoiando mulheres que são cuidadoras

73% dos funcionários hoje cuidam de um filho, pai ou amigo. As pressões logísticas, financeiras e emocionais de ser um cuidador podem ter um grande impacto. Na verdade, 80% dos entrevistados num estudo de Harvard disseram que o cuidado afetou sua produtividade no trabalho e interferiu em sua capacidade de fazer o melhor trabalho. 

Não é de surpreender que as mulheres tenham muito mais probabilidade do que os homens de cuidar de familiares doentes ou idosos. 

Pode ser difícil saber como, como empregador, pensar em como pode ajudar a aliviar o fardo de seus funcionários que prestam assistência, mas tomar medidas para apoiar a saúde mental de seus funcionários é um bom começo. Além disso, tente uma estratégia de folga que aloca um número de dias que os funcionários podem tirar conforme necessário, sem fazer perguntas, ao invés de escolher entre dias pré-alocados de “férias” ou “doença”, que eles então perdem para os dias pretendidos objetivo. Isso não apenas torna mais fácil para os funcionários planejarem as responsabilidades de cuidar; também cultiva uma atmosfera de confiança e respeito.

Já há benefícios para os funcionários com descontos em programas de apoio à prestação de cuidados aos idosos, que fornecem uma ampla gama de serviços, incluindo preparação de refeições, banho, higiene, mobilidade e gerenciamento de medicamentos, para permitir que os idosos vivam com segurança e conforto em casa. Os membros também recebem uma inspeção de segurança doméstica gratuita, uma vez que tenham contratado serviços com o Home Care Senior.

Vida saudável e cuidados preventivos

Os cuidados preventivos e as opções de estilo de vida saudáveis ​​são, obviamente, importantes para a saúde de todos os funcionários, independentemente do sexo. Mas existem algumas áreas onde as preocupações com a saúde da mulher são especialmente relevantes:

Acabar com o estigma em torno das questões do bem estar da saúde física das mulheres

Para isso, é claro, a saúde física é tão importante quanto a saúde mental – e às vezes as mulheres podem se sentir incapazes de expressar suas questões e até problemas físicos aos seus empregadores, especialmente quando se trata de condições ginecológicas.

Na verdade, muitas iniciativas hoje, sugerem o fim dos tabus no local de trabalho que cercam as condições específicas das mulheres. Um exemplo dessas condições é a endometriose, uma doença crônica que venho evangelizando, por ser portadora, que afeta hoje muitas mulheres em idade reprodutiva. Entre os vários sintomas estão sangramento intenso, dor crônica na pelve e fadiga.

Sem o apoio de seus empregadores, as mulheres com endometriose e outras condições ginecológicas podem não atingir seu potencial máximo no trabalho e também, podem começar a ver um impacto negativo em seu bem-estar mental.

Infelizmente, algumas mulheres com problemas ginecológicos se sentem incapazes de falar com seus empregadores e de ter acesso a suporte – especialmente se elas se reportarem a um superior homem – pois temem que ainda haja uma falta de compreensão quando se trata das necessidades de saúde específicas das mulheres.

As mulheres trabalhadoras precisam se sentir capacitadas para obter apoio – assim a importância do empregador demonstrar em ter boas políticas ou programas relacionados à sua saúde e diálogos positivos certamente podem ajudar.

Gestores, Líderes de Saúde e Bem-estar no Trabalho, já são realidades em muitas empresas ao redor do mundo:

“A saúde reprodutiva e ginecológica das mulheres está repleta de conversas sussurradas e eufemismos. É hora de mudarmos isso. Essas condições não devem ser descartadas como ‘questões das mulheres’ e, como afetam grande parte da população em idade ativa, são importantes para a economia como um todo.”

Apoiando a saúde cardiovascular da mulher

Condições como câncer de mama e diabetes podem ocupar as manchetes, mas a principal causa de morte entre as mulheres atualmente são as doenças cardíacas. As escolhas dieta, exercícios e estilo de vida podem ter um impacto direto na saúde cardiovascular das mulheres. Programas de bem-estar no local de trabalho, escolhas saudáveis ​​no refeitório e aulas de ginástica ou instalações no local são ótimas maneiras de incentivar comportamentos saudáveis. Certifique-se de que seus funcionários também estejam cientes das vantagens e descontos disponíveis por meio de seu plano de saúde, existem também programas de descontos em visitas ilimitadas. Muitos planos de saúde, também oferecem reembolso para centro de fitness e programas de perda de peso.

Conscientizar sobre mulheres e álcool

A pesquisa mostra que o uso de álcool por mulheres tem aumentado nos últimos anos, à medida que as normas culturais mudaram e as empresas de álcool têm cada vez mais como alvo as mulheres em seu marketing. Durante a pandemia, o uso de álcool pelas mulheres aumentou ainda mais acentuadamente: de acordo com um estudo, as mulheres aumentaram os dias de ingestão de álcool – mais de quatro doses por semana – em 41% entre 2019 e 2020. Além dos problemas pessoais, devido a isso, o uso excessivo de álcool tem implicações graves para a saúde a longo prazo, incluindo aumento do risco de câncer de mama, doenças cardíacas e hepáticas.
 
Os empregadores podem apoiar escolhas saudáveis ​​em relação ao consumo de álcool, fornecendo educação sobre os riscos do álcool e certificando-se de que os funcionários estejam cientes dos recursos e benefícios disponíveis se eles ou alguém que amam precisar de ajuda. Equipes de saúde comportamental especializadas em recuperação de dependência, que podem ajudar os membros de suas famílias a entender as opções de tratamento, maximizar seus benefícios e encontrar recursos e soluções.

Promover a conscientização sobre o câncer de mama

Alguns estudos apontam que aproximadamente 1 em 8 mulheres serão diagnosticadas com câncer de mama invasivo durante a vida. A detecção precoce é fundamental para a prevenção. Mulheres com idades entre 45-75 são aconselhadas a fazer uma mamografia a cada dois anos ou mais frequentemente, conforme recomendado por seu médico com base em fatores de risco e tomada de decisão compartilhada. Mulheres de todas as idades também são aconselhadas a fazer autoexames das mamas. Os empregadores podem lembrar as mulheres da importância dos cuidados preventivos e certificar-se de que estão cientes dos benefícios dos cuidados preventivos. Na maioria dos planos de saúde, os exames preventivos de mama são totalmente cobertos.

Para as Mulheres Analisarem

1. Escolha um empregador que deseja cuidar da saúde da mulher

Para ajudar a manter uma boa saúde física e mental, é importante que as mulheres procurem escolher um empregador que atenda às suas necessidades. Mas como você identifica um empregador que tem esse ethos? Bem, existem muitas maneiras pelas quais as empresas podem demonstrar que promovem a boa saúde dos funcionários.

Por exemplo, pode valer a pena perguntar a um potencial empregador se eles reconhecem a saúde reprodutiva das mulheres na política do local de trabalho; e se fornecem apoio confidencial para trabalhadoras. 

Alguns empregadores vão além, aumentando a conscientização sobre como o gênero afeta certas condições de saúde, oferecendo serviços de saúde e concessões para as mulheres e implementando uma política de trabalho flexível.

Os locais de trabalho que oferecem programas de liderança feminina, diversidade e inclusão, também podem realmente ajudar no bem-estar mental dos funcionários. Esses programas são produtivos, pois não ajudam apenas o líder, mas também a equipe mais ampla – um líder motivacional transfere sua atitude positiva para os outros.

Encontrar um empregador que ofereça instalações aparentemente simples, mas importantes, como boas áreas de descanso ou ofereçam atividades físicas para a equipe, também pode ser útil quando se trata de manter uma atitude positiva.

2. Considere trabalhar para um empregador no setor médico ou da saúde

Também vale a pena considerar trabalhar para um empregador na área médica ou da saúde – já que as empresas que fornecem produtos e serviços de saúde podem muito bem estar mais em sintonia com as necessidades de saúde de seus próprios funcionários.

Há exemplos de empresas progressistas, que colaboram com outras empresas para enfrentar os maiores desafios da área de saúde.

São empresas que buscam garantir que os colaboradores e seus colegas se sintam apoiados no trabalho e também, oferecem dicas, treinamentos, ou informações sobre como as mulheres podem buscar aconselhamento fora do local de trabalho, destacando a relação importante entre as mulheres e seu médico de clínica geral, por exemplo.

Há empresas também, que elaboram planos de benefícios para funcionários, incluindo serviços de saúde, que tornam os negócios mais atraentes para funcionários em potencial. Se concentram fortemente na saúde física e mental dos funcionários, até mesmo publicando dicas de autocuidado para um melhor equilíbrio entre trabalho e casa.

3. Concentre-se no autocuidado, bem como na busca de apoio no trabalho

Porém, lembre-se – ninguém pode esperar que apenas o empregador seja o único guardião de sua saúde. Qualquer mulher que bsuque desfrutar de boa saúde ao longo de sua carreira também precisa trabalhar para manter seu próprio bem-estar.

Algumas ideias de como as mulheres podem manter sua saúde mental e bem-estar no trabalho diariamente incluem:

  • defina um plano de suas ações para cada dia – ter um plano pode aliviar o estresse
  • encontre um ambiente inspirador para trabalhar com pessoas que pensam da mesma maneira
  • faça reuniões ativas – por que não fazer um brainstorm enquanto caminha pelo parque em vez de ao redor de uma mesa?
  • não tente completar tudo de uma vez – concentre-se em seus objetivos principais a cada dia
  • permita que outros contribuam – não sinta que é você quem tem de fazer tudo!
  • mantenha uma abordagem 8-8-8 a cada dia – 8 horas para trabalhar, 8 horas para dormir e 8 horas para você

Quando se trata de saúde física, o principal a lembrar é não ficar sentado em silêncio. Se você tem uma doença crônica, fale com seu empregador sobre que tipo de suporte pode ajudá-la a lidar com isso – você pode descobrir que existem procedimentos úteis da empresa que você não conhecia. Além disso, visite seu médico regularmente para falar sobre o que você está experimentando e descobrir um plano de ação.

Junte-se a um empregador que tenha o compromisso de apoiar a saúde da mulher

A sua saúde física e mental são importantes, portanto, considere sua próxima mudança na carreira, se possível, para um empregador engajado na sua jornada profissional e que realmente se preocupe com o bem-estar das mulheres.

*Val Sátiro Oliveira – Fundadora da Interação Saúde Mulher

error: O conteúdo está protegido!